Logotipo NIPE

Projetos

ECO.Fire – O valor económico dos incêndios florestais como suporte ao comportamento preventivo

Os incêndios florestais têm sido considerados um dos principais problemas ambientais. Apesar desta importância, o seu impacto económico, que tem em conta as perdas económicas diretas e indiretas, não é, atualmente, bem mensurado. Além da perda de vidas humanas, de propriedades e de infraestruturas, a extensão das consequências do fogo, na perspetiva florestal, pode ser avaliada em grande parte, pelo custo social de tais incêndios, que é a mais negativa das externalidades associadas. Uma contabilidade precisa dos impactos dos incêndios florestais é essencial, não apenas para a determinação da indemnização devida às comunidades afetadas, mas também para a produção de informações úteis para ações de gestão e proteção contra o próprio incêndio. A possibilidade de conseguir estimar a priori o custo previsível de um incêndio florestal num determinado local, pode suportar o processo de decisão de proprietários, gestores e entidades territoriais no que concerne a decisões como: escolha das espécies a explorar, gestão de faixas florestais, alteração de usos dos terrenos ou mesmo balancear custos de limpezas tendo em consideração os vários cenários de custo de antemão. Reconhece-se que a avaliação dos prejuízos económicos causados pelos incêndios florestais é uma atividade de alta complexidade e importância, devido ao número de efeitos de curto, médio e longo prazo, aos níveis social, económico e ambiental, e também pela dificuldade de alocar um valor de mercado a recursos como a diversidade biológica e a preservação de espécies ameaçadas.

A equipa do presente trabalho, combinando conhecimentos de alto nível de métodos de avaliação económica ambiental, impactos de incêndios florestais e ferramentas computacionais, tem por objetivo construir um modelo para a avaliação económica dos impactos dos incêndios florestais, envolvendo a população local, que servirá como uma ferramenta para apoio a políticas de gestão florestal e prevenção de incêndios. Somando-se à contabilização direta e indireta dos impactos dos incêndios, propomo-nos recorrer a métodos de avaliação não mercantis para explorar o valor dos ativos relacionados com os recursos florestais que podem ser perdidos através de incêndios florestais. Além disso, projetamos uma experiência socioeconómica, que testa mecanismos para contribuir para a prevenção de incêndios florestais. Ambas as metodologias estão estabelecidas na literatura e foram implementadas em vários estudos por membros da equipa de pesquisa seguindo padrões internacionais elevados.

 

Investigador Principal

Lígia Pinto

Equipa

João Cerejeira Marieta Valente Rita Sousa

Instituições Participantes

Universidade do Minho Centro de Computação Gráfica

Prazo

2020-01-15 - 2022-01-14

Entidade Financiadora

Fundação para a Ciência e Tecnologia